Buscar
  • Ceort Taubaté

Escafoide

O escafoide é o osso chave na biomecânica do nosso punho. Ele funciona como um elo de conexão entre as fileiras proximal e distal dos ossos do punho.

Estatisticamente é o osso mais frequentemente fraturado nessa região e o mecanismo de trauma mais comum é uma queda com o punho em “esticado” muito frequente em praticantes de esportes como #futebol, #basquete, #volei, #snowboard e #esqui.

Apesar de sua importância para o bom funcionamento do punho, o diagnóstico nem sempre é realizado no primeiro atendimento!! O punho pode não inchar muito, o paciente consegue manter certa mobilidade e, além disso, as radiografias iniciais podem ser normais!! Devendo sempre ser suspeitada após um exame físico bem realizado.

A maioria das fraturas agudas necessitará o tratamento cirúrgico visando diminuir o tempo de recuperação e de imobilização, bem como promover a compressão e estabilização entre os fragmentos o que diminui os riscos de não consolidação da fratura e suas possíveis sequelas!

A cirurgia é realizada de forma minimamente invasiva, com fixação percutânea com um parafuso especial e auxiliada pela artroscopia de punho que permite confirmar sob visualização direta o melhor ponto de entrada para o parafuso, confirmar sua adequada redução, bem como diagnosticar lesões ligamentares ou condrais associadas.

Após essa cirurgia, o paciente tem alta hospitalar no mesmo dia e permanece imobilizado com uma órtese removível por 2 a 4 semanas, iniciando sua reabilitação o mais precocemente possível.

Muito frequente nas gestantes e lactantes a síndrome de D’Quervain às vezes também é carinhosamente chamada de punho das mamães! 🤱🏼

No entanto essa patologia não é exclusiva desse grupo, sendo bastante frequente também no restante da população!

A síndrome de De Quervain ocorre no primeiro compartimento extensor, próximo à base do polegar (dedão). De modo bem parecido com o que ocorre no dedo em gatilho, o tendão inflamado aumenta de volume e passa a apresentar um atrito anormal no túnel desse compartimento, causando dor.

Esse fato é mais comum em mulheres pós menopausa, gestantes e mulheres que amamentam devido a um aumento da retenção de líquidos no corpo causada pela alteração hormonal, favorecendo o inchaço dos tendões.

O diagnóstico é feito basicamente com a história e o exame físico no consultório. A dor típica referida pelos pacientes se localiza na região lateral do punho e piora com movimentos de lateralização e movimentos do polegar.

Muitas vezes também pode ser encontrado um inchaço nessa região causado pela inflamação. Em casos duvidosos podemos realizar um ultrassom para confirmar a doença.

O tratamento inicial pode ser feito com uma infiltração de medicamentos dentro do compartimento visando diminuir a inflamação, porém em casos avançados ou que não respondem à infiltração a liberação cirúrgica do compartimento está indicada.

Nas gestantes e lactantes espera-se uma melhora em algumas semanas, pois as alterações hormonais da gestação irão voltar ao padrão normal, melhorando os sintomas.

7 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo